segunda-feira, 28 de dezembro de 2009



Definitivamente o som do blues e a lua me fazem delirar
Pois acho muito intenso, acho forte
E produz a vontade de dançar
De pensar, de sentir...

Gostaria de repetir o silêncio de ontem
Onde eu consegui me escutar
Acalmando meu íntimo, meus sonhos
Sonhos que ainda quero realizar

E o solo da guitarra melancólica
Expressa minha solidão
Expressa meus medos, angústias
Também desejos...

Chegam as recordações do ano vivido
Das frustrações, dos acertos, do proibido

E ontem escutei coisas boas
Que me fizeram pensar
Porque o coração tantas vezes nega-se sentir
Juntamente com o pensar?
Quantas vezes meu coração insistiu
Mesmo com a razão me pedindo pra frear?

Sede de vitórias, de acertos
Volúpia em sentir, em amar
Sem medo do erro
Com tamanha intensidade que assusta o outro
Talvez esse mesmo
Seja meu erro...

domingo, 27 de dezembro de 2009

Recomece! Tente outra vez....


A gente não pode desistir frente às dificuldades que são apenas ferramentas de progresso.
Como é importante, como pode ser gratificante vencer um desafio da vida...
É lutando que se aprende.
É tentando, praticando que se alcança o sucesso.
E o sucesso espiritual está bem aí à sua frente.
Basta começar a batalhar para alcançá-lo.
A matéria, as conquistas do mundo não satisfazem como a conquista do espírito.
E seus valores são bem diferentes. Observe...

Comece a notar à sua volta... suas sensações.
O que sente quando vê alguém feliz?
O que sente quando consegue dar uma mão, um socorro?
É uma sensação satisfatória e prolongada... Branda ao mesmo tempo.

O que sentes então quando ganha o material? É prazeroso sim, com certeza.
Mas a sensação é passageira e desenfreada.
E logo vem outro desejo, outra vontade, outro capricho.

Sejamos brandos e pacíficos. Ternas pessoas que buscam alcançar uma satisfação eterna por ter servido ao Mestre Jesus.




Mergulhe e cure!



Mergulhar...
Sentir toda a dor...
E curar
Retirando toda a amargura
Todo o sofrimento
Trazendo o amor

Jesus está te oferecendo esta ajuda
Entregai
Ele está te chamando
Amai...

Reconheça a fraqueza
E doai toda a esperança
Toda a boa lembrança
Continuai...

Caminhando com alegria
Espalhando as pétalas de fraternidade
Fazendo a diferença
Continuai...

Humanos demais



Somos humanos demais


Momentos de reflexão...
Como diz a música cantada pelo Pe. Fábio de Melo: humanos demais para compreender.
Se pararmos pra pensar veremos o quanto ainda é difícil conviver harmonicamente em sociedade, em família, no trabalho, no casamento...
Ainda temos muito o que aprender, muito o que mudar, muito o que tolerar em nós e nos outros.
Somos muito humanos para compreender o erro do outro e, ao mesmo tempo, exigimos que o outro nos compreenda o tempo todo. Contraditório, não?
Me lembro ainda da passagem do maior mandamento que Jesus nos ensinou que diz para amarmos a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos. Realmente grande ensinamento pois nos mostra como conseguiremos viver bem uns com os outros. Ele é o caminho, verdade e vida!
Viver e não ter vergonha de ser feliz. Não ter medo de respeitar, não ter receio de amar e de aceitar o outro exatamente como ele é. Quantos nos amam e nos aceitam do jeitinho que somos...Somos também tão problemáticos, tão cheios de melindres, com mania de julgamentos antecipados...
E ao mesmo tempo, sabemos também que a faísca divina existe dentro de nós. Temos o amparo da divindade e de seus anjos que não nos deixam entregues, não nos deixam sozinhos entregues ao mal. "Sois Deuses"- disse Jesus. E ele não vai deixar nenhuma ovelha perdida...
Sabemos também que basta ter fé, pedir e obter do Alto o que é justo, de nosso merecimento...Então agora, o merecimento...O merecimento que tantas vezes achamos que não temos ou que o outro não tem…Tudo isso é humano demais para que a gente compreenda o que Deus realmente quer de nós. O que realmente é nossa tarefa, nossa missão.
Eu quero agradecer agora por saber, por pelo menos identificar que sou humano demais para saber tudo e para condenar o meu irmão simplesmente porque veste uma roupa diferente da minha, porque tem um corte de cabelo diferente do meu ou porque fala alto, ou ainda porque torce por um time que não seja o “meu”.
Querido Deus, sou humano demais, limitado demais e ainda sim quero agradecer por pelo menos entender que as diferenças são importantes para ensinar e para enfeitar a nossa vida de riquezas. Por nos mostrar o tanto que ainda temos que aprender o tanto que ainda temos que crescer, que multiplicar, que servir para melhorar nossa comunhão uns com os outros.
Obrigado por tudo que me ensinastes hoje e quero de coração, com todas as minhas forças estar sintonizado contigo nos mais belos sentimentos que eu for capaz de sentir para me entregar a ti e para realizar obras em teu Santo Nome.
Servindo o meu irmão, acolhendo-o em meus braços, fazendo uma oração.

Amém!


Feliz 2010 a todos!

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Lembrança...


Todos os dias me lembro de você
Quando ouço aquelas músicas que ouvimos juntos
Quando estou no silêncio de minhas preces
Na solidão do meu quarto

Eu penso ainda em você

Me lembro de você
Quando vejo as maravilhas que gosta tanto de ver
Quando me deitava do seu lado esquerdo
E acordava no meio da noite com você me puxando
Pro meu corpo ficar junto do seu
 

Como me lembro...
Quando vejo sua foto sorrindo

Com aquele olhar desconfiado

Lembro ainda que de mãos dadas
Falamos de viagens
Quantos planos...

Quanta lembrança vive em meu pensar

E passo a desejar muito o seu bem
A querer ainda falar do que tanto falávamos
Que saudade ainda sinto de contigo aprender
De contigo conversar
Contigo estar
Segurar em suas mãos 

E contigo caminhar

É muito bom lembrar com ternura e magia de tudo que vivi
Apenas me machuca saber que não pôde mais ser assim
Me lembrar do silêncio que até hoje não entendi

Também aprendi a me desabafar
Aprendi a orar
E não mais ficar sufocando
Ninguém

Utilizo apenas os bons desejos
A saudade
E esse meio que quem sabe um dia
Chegará até você...

Não adianta mais que isso
Ficar me culpando
Ficar tentando descobrir
Porque não quis mais saber mim

Essa é mais uma lembrança

Que tenho agora
Com ternura
E ao mesmo tempo...
Aquela suave tristeza
De não saber mais nada de você

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Te ver



Sabe, se eu pudesse voar agora
Visitaria vários lugares
Várias paisagens
Conheceria as mais belas árvores
As flores mais exóticas
As cores mais indefinidas

Juntaria tudo para levar pra você
  Me renovaria com alegria
Com prazer por viver

E no meio da noite fugiria
Em busca de você
Que ainda não encontrei

Percorreria cada rua da cidade
Cada lugar
Eu encontraria você
Com a força do meu pensamento
Que está muito ligado 

E muito fácil encontraria você

Invisivelmente eu deixaria de ser
Deixaria de voar
E belamente apareceria 

Só pra você

Do jeito mais romântico
Mais poético
Encantador
Com o perfume das flores
Com a magia das cores
Todas concentradas
Seriam entregues a você

E como um brisa suave
Eu beijaria seu rosto
Deixaria meu perfume
Levaria seu gosto

Sua lembrança...

E com toda a felicidade
Toda a ternura
Voltaria pra casa
Pra descansar, pra me refazer
E quem sabe noutra noite
Novamente te ver

A vida ensina



O que é estar só
Se estamos há todo tempo cercados
Totalmente cercados de pessoas, de seres, de vida
Só não enxergamos aquilo que não desejamos
Não notamos as alternativas
Os trajetos possíveis de se traçar

Porque sempre a insistência
A mania de querer alcançar
Aquilo que não se pode ter
Não naquele momento
Quanta falta de aceitação
Quanto medo
Quanto apego
Tudo em vão

E a vida ensina
A cada segundo ensina
Quem não aprende
Simplesmente se esconde
Disfarça, culpa o outro
Alienado está...
Finge que não viu

E novamente a vinda
De novas tentativas
Até chegar à conclusão
Que não vale a pena atrasar
Tudo tende a caminhar
Para mais uma etapa na evolução

Quantas vezes forçamos em sofrer
Forçamos em continuar a nos esconder
Com medo de enfrentar
Com medo de nos encontrar
 Melindres, pânicos, insatisfações
 Quanta desilusão

Cada dia
Cada luta
Cada oportunidade
É propício ao aprendizado espiritual

Cada fracasso
Cada dia difícil
Cada dor é grande prêmio de consolação
Pagamento de colheitas mal-feitas
Plantio errado

E a vida...
Essa vida sim
Trata de nos ensinar
A plantar, a colher
A não mais errar
A não mais sofrer
E não mais chorar...

Ensina a encontrar a solução

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Segundos



Viajar
Em segundos 
Apenas por pensar
Em ver você


E se te encontro,
Ufa...

Aquele disparar do coração

Falta de ar
Eu sinto você 
Morar há tanto

Aqui no meu coração


Olhe mais uma vez e sinta
O que meus olhos 
Tanto dizem a você

Quando nos cruzamos
Pelas ruas estreitas
Frias e doloridas
Tire um minuto e sinta
Perceba

Estou aqui
Procurando por você
Esperando você passar
Só pra te ver
Só pra poder sentir de novo
Em frações de segundo

Meu coração disparar...

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Observação



Vou escrever uma observação

Como pode de fato
Melhorar tanto meu ânimo chato
Somente por ver você me olhar?

Esse olhar desconfiado
Que disfarça em cada vez
Que cruza com o meu olhar
E sorri discretamente
Eu penso...
Será que é um sonho?
Engano meu?
Acho que não
É realmente o poder dos olhos teus

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Questionamento



Não é fácil aprender a lidar
Aprender a desapegar
Aprender a se desfazer
De tantos sonhos
De projetos que outrora
Fizeram parte do meu pensar

E eu tento a todo momento
Superar
A todo momento não pensar
A todo momento não querer
Você

As lembranças continuam sendo fortes
Continuam marcando
Fazendo-me lembrar das palavras
Da doçura, gentileza
Que brindaram meu encontro com você

E eu não consigo disfarçar
Não posso mesmo deixar de pensar
Deixar de querer entender
Porque não pôde ser
Porque não pude ter maior tempo
Maiores oportunidades
Junto a você

Alguma coisa oculta
Circula ainda por aqui
E me diz que ainda um dia
Um dia vou obter a resposta
Sobre o motivo, a razão
De ter sofrido
De não ter compreendido
O que eu tive que viver

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Por que não fazer diferente?



O que te leva a mentir?
A enganar?
Que necessidade é essa sua que brota
Que prazer é esse?
Que te faz disfarçar, ocultar
O que realmente és?

Fazendo o outro chorar?

Em que mundo vives?
Que tipo de esperança cultivas?
Por que insistir em se enganar?
Em fazer sofrer o outro
Com promessas, atitudes
Que não podes sustentar?

Como é fácil viver na verdade
Na pura sinceridade
De saber, de enteder
O que realmente se quer

Por que não marcar as pessoas com boas ações
Atitudes nobres
Que fazem evoluir
O coração se exaltar?

Como é bom lembrar de pessoas exemplo
De pessoas que lutam
Que vivem
E que ensinam a viver

Que alegria é possível sentir
Ao cruzar por caminhos
Recolhendo sorrisos
Agradecimentos
Muitas vezes não ditos
Apenas sentidos
Com a graça divina
Para continuar a andar
E fazendo o coração
Mais forte bater?

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Que bonito...



Você tem um sorriso tão marcante
Não sei o que significa
Sei que me leva ao pensamento
De coisas misteriosas
Que minha curiosidade queria muito perguntar

Sabe, é muito prazeroso
Caminhar pelo corredor da dor
E poder cruzar o olhar contigo
Trocar o sorriso, acenar com disfarce
E você...
Com tanto carinho e esperança
Lutando para vencer
Mais uma vez o desespero
A doença, a dor...

E me pego pensando em como ser feliz
Como poder a cada dia estar bem
Presenciando tanto choro
Tantos olhares carentes
Tanta miséria que está ali aflorada
Clamando misericórdia
Quantas mortes, quantas lágrimas
Tem que ser muito forte...

E me bate a saudade
Quantas vezes a saudade
A procura
Querendo te encontrar
E mais uma vez um monte de dúvidas tirar
Entre outras coisas
Que aqui não posso contar

Obrigada sim
Pela ajuda
Por ser servo do Senhor
E a Ele clamo a força
A luz
Que te ilumine sempre
Pra conseguir cumprir com esmero
Cada labuta no belo jardim
Da recuperação

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Despetalada...



Por te ouvir
Apenas saber que bem estás
Já me sossega, me tranquiliza
E mesmo sabendo tanta coisa
Que provavelmente não te verei mais
Aceito...
Porque escolhestes assim
Meu amor

Já me acostumei a estar só
Não de braços cruzados
Mas aprendi a sorrir e a chorar
Esbanjar sorrisos 
Com lágrimas de dor
Pela ausência do que eu busco
Que pudesse aliviar aqui dentro
Por muito tempo
E enfim...

Estou buscando cada pétala ao chão
Espalhadas pelo vento

Meu coração despedaçou


E estou procurando mesmo

Cada pétala
Lentamente
Reconstituindo a flor
Bela flor do jardim
Chamado amor

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Eu quero me expressar




Cada um tem seu lugar
E meu sangue ferve
De vontade de me expressar
Diante de tanta omissão
Desconhecimento
Onde o poder muitas vezes
Não pode sobressair sobre você


Que lição!
Tenho que aprender
A sair de um cubículo escuro
Sofocado, que pressiona
Lutando para conseguir superar
O vazio, as dificuldades
A falta de investimento
A cegueira que insiste
Em permanecer em tantos
Que não acordam
Não percebem
Que é hora de fazer!

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Lembrança



Quando estou com você
Logo me aconchego
No calor de seus braços
No toque de seus dedos

E  me entrego
Deixo fluir
Tudo o que se passa dentro de mim
Com calma, delicadeza
Suavidade, doçura...

E durante a semana tanta saudade
A ausência
Esperando pelo sábado
Que vai chegar enfim

Não se desespere meu querido
Sentimos realmente a falta do físico
Mas acredite no transcendente
Que ultrapassa
Que nos une
E eu te digo com certeza
Que a cada dia isso tudo fica melhor

E  ansiosa espero pelo amanhã
Pra poder estar com você!
Novamente te olhar, te sentir, sorrir
Isso é pra você!

Vitória!


Na verdade há muito choro
Muito sofrimento no oculto nas pessoas
E quando buscamos ter olhos de ver
Enxergamos a profundidade deste sofrer


Eu tenho visto tanta coisa nos olhares chorosos
Que clamam socorro assim como eu...

O que importa nisso tudo
É que que cada um tem seu tempo
E no final de contas, sempre há solução


E após doar um sorriso
Encarando de frente essa limitação
Essa sistemática tão sofrida
Aceitando o momento, toda a realidade
Esgotando cada segundo de tristeza
Acordamos para um novo dia
Para um novo recomeçar
Porque o sol volta a brilhar

A sombra que projetava
Era a simples falta de vigiar
De notar que era a luz que não se via antes

E agora vejo nova esperança
E de novo acordo cantando
A música que embala
Meu dia de trabalho
Meu dia de luta
Aguardando ansiosa
Por novas tarefas
Novas experiências
Nesta vida de erros, de acertos
Mas cheia de vitórias
Que não dá mesmo pra esquecer

sábado, 14 de novembro de 2009

O que te fiz?



Eu não sei o que acontece
O que pode ser mais cruel
O que te fiz?
A pergunta não cala
Por que o silêncio das palavras?
O desprezo...o isolamento das ações?

E eu mereço tudo isso?
Mereço a solidão?
Responde meu amigo
O que de tão terrível fiz então?

A melancolia faz parte do meu EU
E reaparece ainda mais forte agora
Porque não compreendo nada
Eu fiz o meu melhor outrora...

Nao existe perfeição
E não houve má-intenção
Como entender
O desaparecimento
O sofrimento
O que te fiz então?

Preciso esquecer e contra isso lutar
O que não dá pra compreender agora
Talvez um dia...
Quem sabe...
Dará...

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Me deixa....



Deixa eu chorar agora
As lágrimas de dor
Deste momento terrível
Que vai passar


Mas vou sim, vou sim expressar
A minha indignação
Porque é necessário extravasar
E não ficar guardando isso não


Basta por hoje!
Por esses dias
A incompreensão chegou ao fim
E não quero mais isso pra mim
Não de você

Me deixa...



Não é fácil sentir tanto
Não é fácil compreender
Comportamentos
Palavras
Ações
Desejos
Mentiras


Por que não conseguimos conviver?
Por que não conseguimos respeitar?
Por que não amar?
Por que não ser sincero?
Por que não expressar o que realmente é???
São tantos questionamentos...



Estou muito triste
E a minha dor se manifesta
Sombria
No meu estado de lamentação
Profunda 
Por viver num mundo assim


Por também ser assim
Por também mentir ou omitir
Muitas vezes me anular

Para agradar
Para tentar ser feliz...
Pra tentar superar
Para não ofender, não magoar

Vencer cada desafio que a evolução me dá



Até quando???
De novo pergunto...
Me questiono muito...
Penso, penso e penso...
Não sei onde chegar, 
Mas sei de onde partir

E novamente,

Outra vez parto do mesmo lugar
Recomeçando 
Lutando para encontrar
O que eu tanto busco
Que é poder compartilhar
Qualquer coisa
Qualquer momento
Qualquer palavra
Fruto de nobres sentimentos...


Tudo passa,
E de novo recomeço
Com força
Com garra
Porque a experiência um dia dirá
Onde errei
O que posso fazer 
Para melhorar
E não mais sofrer
Não mais chorar
Não mais me importar tanto
Com o que o outro faz a mim

Dando a outra face
Amando o inimigo
Sendo melhor...
Libertando-me deste lado sombra
Que agora está me fazendo perecer

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Saudade...

A saudade bate forte
Cada vez que me lembro
Do que estive vivendo com você

Em dias de pura emoção



E bate forte a lembrança
De momentos mágicos
Simplesmente perfeitos

Onde eu pude me entregar
Mesmo sabendo no que resultar


E me entreguei ao silêncio
Ao sono, à alegria
Ao sentimento
Ao vento da estrada noturna
Em cada música
Que se tornou a trilha sonora
Que passei a apreciar...



A intuição está aqui sempre
Avisando, mostrando resultados
Hipóteses...
E eu lutando pra fingir que não sei
No que vai dar...


Paciência eu preciso ter
E começar a analisar mais
Do que ficar cobrando de mim 
Ou do outro...
Resultados que não poderei alcançar



O que a gente aprende também
É que oportunidades passam
A vida passa
E muitos de nós ainda insistindo
Em viver sem dar importância
Às escolhas, aos resultados de ações
Como aprendi: Buscai e achareis!
E eu quero buscar
O que é bom...



Assim, preciso controlar meus desejos
Meus impulsos
Meu desespero
E me focar naquilo que posso doar 
A todos que de mim precisar


A experiência traz a certeza
Da colheita de tudo o que plantamos
No decorrer dos anos
Das tentativas, das palavras
Da ações...


É viver e aprender
Sentir, pensar e agir
Em prol de um dia 
Num belo dia...
Encontrar novamente você

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Aliviando...



Se eu pudesse agora arrancar
Daqui de dentro tudo que me machuca
E aliviar o choro que aperta
Bem que eu faria

Meu interior continua a se movimentar
Em águas turbulentas, ferozes
Exigindo aquilo que ainda não fiz

Sinto que vou cair
Sem chão, sem rumo
No jogo da vida
Que me exige encontrar a saída

As dores do meu silêncio
Alivio aqui...
Respiro bem fundo
E sigo em frente
Ao longe...
Me entregando à constante luta
De tentar vencer
As dificuldades do dia-a-dia
Que me faz crescer

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Até quando?



Até quando...
Continuaremos a agir por instinto apenas
Tendo defeitos e limitações
Esquecendo das oportunidades de evolução?

Até quando...
Continuaremos a fingir que não sentimos
Que não nos importamos com a família
Que somos fortes?

Até quando...
Continuaremos buscando apenas ter muito
Conquistando melhores posições no quesito matéria
E não sendo melhor, mais sensível às dores alheias
À reforma íntima?

Até quando...
Continuaremos a brincar de sentir
Continuaremos a ter medo de inovar
Continuaremos a nos fechar para novos conhecimentos?

Até quando...
Teremos vergonha de acreditar
Na transformação de nós mesmos
E consequentemente na dos outros?

Até quando...
Seremos omissos
Seremos orgulhosos
Mentiremos para nós mesmos
Teremos medo de dizer o que sentimos?

Até quando...
Seremos insensíveis
Não acreditando no amor...
Não tendo fé...
Não acreditando na paz interior?

Até quando...
Deixaremos para trás o autoconhecimento
O amor por nós mesmos
A vida, a reforma, o sorriso, a alegria?

Até quando...
Continuaremos a reclamar de todos
Achando que não somos suspeitos
Não sendo sinceros
Não tocando, não sentindo o outro?

Até quando...
Teremos raiva das imperfeições alheias
Sentiremos ódio das pessoas
Por não corresponderem às nossas vontades?

E nós...
Continuando suspeitos...

De não escolher...
De não transformar...
De não acordar...
E não perceber
O quanto é importante
Acreditar

Quais são suas escolhas?

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Como eu sou?

Como eu sou?

Penso e sinto o dia inteiro
Sou intensa...
Procuro o verdadeiro

Quero desvendar as pessoas
Imagino seus pensamentos
E acabo descobrindo um mundo mágico
Aí dentro


Adoro pensar,
Como é bom sentir nesse mar
De sensações

Eu tenho vontade de tocar
De abraçar, de acolher
Sinto vontade de descobrir
De questionar

Aconselhar
Trocar experiências
Pra não cair em tentação

Não é fácil mudar as pessoas
Isso descobri
Se não consigo em mim
Quanto mais no outro
É em vão...



Já aprendi quanto a isso
E hoje busco respeito e pratico
No tempo e na razão
De cada um

Estou procurando ainda
A companhia precisa
Pra conversar de tudo
Do universo ao sorriso
Constante da criança
Que sente a segurança
A certeza do colo materno
Pra dela cuidar


Quero uma parceria
Momentos de alegria
Com essa pessoa acordar


Sentindo suas mãos
O seu rosto
Tocando levemente e com gosto
De quero mais!!!


quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Ao som de Stevie Ray Vaughan



O blues produz uma sensação de leveza
Relaxo, me enlouqueço
Na possibilidade de viajar no balanço
De um ritmo que me encanta

O blues relaxa
Possibilita concentração
Em cada acorde da guitarra
Na melodia que me faz flutuar

Nesta noite queria conversar
Queria companhia
Ao mesmo tempo escutar
Esta canção que me anima
Também me tranquiliza
Para no outro dia
Recomeçar...

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Vou me lembrar...


Agora vou lembrar...
Do passado recente
Quando apenas penso no que é bom
E me lembro de você

No lugar certo está
Caminhando sério
E eu te vejo com coragem
Meu coração esquenta
Minha face enrubesce
É bom demais ver você

Não sei mais o que fazer
Pra controlar certas vontades
De conseguir te convencer
Que na verdade
Não é tão difícil viver
E tentar amar

Conquistar-te gostaria
Todos os dias
E sorrir pra você
Sempre...

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Lavando-me



Escrever alivia muito

Se eu também pudesse me isolar...
Andar para longe
Silenciando as palavras
Calando meu íntimo
Que grita em tantos momentos
Pedindo auxílio...
Eu o faria




E então, me lavaria em águas cristalinas
Respiraria bem fundo
E choraria todas as mágoas
Todas as tristezas que me abatem
Nos momentos escuros

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Momento...


Estou aqui pensando
Sentindo
Imaginando
Quanta alegria
Quantas vitórias
Quantos momentos de pura magia
Já vivi

Quantos sorrisos já doei
Quantas lágrimas compartilhei
Momentos de muito aprendizado
Bagagem vasta para fazer valer

Não se pode pular etapas
Sem antes vivenciar a arte do sofrer
Por teimosia, impaciência
Pura falta de experiência
Para então vencer

E o tempo passa...
Olha-se lá atrás e pergunta-se
POR QUE?
Tinha que ser?
Destino?
É preparar e aprender
E agora praticar
Com as virtudes adquiridas
Na prudência do ser que amadurece
Que é o que que se sente
E sente o que se é

Superando facilmente obstáculos
Antes tão difíceis
Que agora fazem parte da mente
Em lembranças que se chegam
E se vão
Isso para sempre nos alertar
A não errar mais
Sofrendo tanto em vão

Viajo em imaginação
Tentando superar a saudade
Encontrando o que busco
Numa realidade que dói
Que machuca, que pressiona
A superar tanta ilusão
Parando de esperar
Parando de percorrer
Caminhos que levam à depressão

Queria mesmo encontrar
Queria muito encontrar
E acomodar o meu coração
Tão sentido, tão deprimido
Buscando constantemente o abrigo
Querendo descansar num peito amigo
Fugindo da solidão

Ah, quanta paixão
Em mim guardada
Querendo encontrar
A pessoa amada
E se entregar com toda força
Com toda a confiança
E ternura
Lenta mas intensamente
Saborendo cada segundo
Cada momento sem medo
Sem conflito
Sem pressa
Sem martírio
Totalemente satisfeito
Tranquilo...
E sorrindo para agradecer
Por ter encontrado enfim
O seu tão esperado bem-querer

Bem-querer apareça logo
Não é tempo ainda de me dizer?
De querer assumir a força
De tanto desejar viver
O que pode estar além dos conflitos
Do rotineiro momento
De cruzar por vidas sem entrega
Sem conversas
Sem realmente ser?
Agora, não sei
Conto dias, conto noites
Na expectativa louca
De serenar meu íntimo
Pacificando o que eu sinto
Quando estou em tantos lugares
Buscando aquilo que não consigo
Ainda alcançar

Quantos momentos lindos, divertidos
Quanta esperança nascendo
Em cada sentinela de tempo
Esperando, pensando, sentindo
O que será que preciso?
Para conseguir em paz viver?

Sem culpa, sem medo, sem querer fugir
Pra longe daquilo que não consigo controlar
Daquilo que não consigo dominar
Pulsando dentro do meu todo
A todo momento
Desesperado
Querendo ansiosamente
Toda esta batalha comigo mesma
Vencer
.
.
.

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Confusão...


Que tontura!
A sensação é de confusão
E, perdida
Não consigo decidir
Não consigo saber
Se é pra ir ou não

Queria tanto ter com quem dividir
Tanta coisa queria dividir
Mas ao mesmo tempo
Pelas experiências parece
Que não é fácil mesmo conseguir
Ou atém mesmo me encontrar

Por que idealizar tanto?
Buscar tanto? Por sensações,
Por sentimentos, por ilusões
Que não posso prender
Por muito tempo ligadas a mim?

Vai chegar nova desilusão
É o crescimento necessário
Pra resgatar tantas dívidas
Talvez tantos sonhos que destruí
Em tempos remotos
Por paixão

Do passado não me lembro
Mas ainda sinto forte
O pulsar de tendências,
De forças ocultas
Por tanto tempo temidas
Que não podem ser esquecidas
E sim superadas
Nos caminhos da evolução

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Incerteza


Ao mesmo tempo em que tudo parece tão bom
A incerteza continua certa
E me vejo no meio de um mar impreciso
Pois é necessário coragem para encontrar a direção


Queria pode escolher
Ou até mesmo melhor enxergar
Controlar a ansiedade, o desespero
Manipular o meu medo
Minha solidão que insiste em ficar


Mas ainda não consigo entender
Que direção é preciso tomar
São lixos mentais? Indignação?
Me convencer de que é preciso lutar
Como me sentir certa na indecisão?


Não é fácil...
Explicar...
Eu queria explicar-me a mim mesma
Porque tanta força, tanta intensidade
Que acabam me fazendo sofrer de tanto pensar
De tanto idealizar o que ainda não posso fazer

É tanto sonhar, tanto querer...
Tanta reflexão
Olho à minha volta
E continuo sentindo tudo
Continuo querendo muito
E mesmo assim ainda sem saber
Que direção tomar...

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Recomeçar



SABE, SE EU PUDESSE FUGIR
FUGIRIA
CONFESSO MINHAS FRAQUEZAS
QUANTAS VEZES LÁ DENTRO EU CHORO
EM DESESPERO
COM MÃOS E PÉS ATADOS
SEM SABER O QUE FAZER

E NESSA HORA CHORO MESMO
EXTRAVASO TODA DOR
MEU EU SE REBELA,
QUANTAS VEZES IMPLORA
SOCORRO, ALÍVIO, CHÃO...

E EU TENHO QUE RAPIDAMENTE
VOLTAR A SORRIR
VOLTAR A TENTAR
PORQUE NÃO É CERTO FUGIR
NÃO É CORRETO NEGAR A MIM MESMA
A OPORTUNIDADE DE MAIS UMA VEZ
LEVANTAR
RECOMEÇAR...